comovido como o diabo

Quando aquela pessoa que você quer ver feliz sempre e para quem você deseja o melhor e que você sabe que pode e que tem tudo pra brilhar tem uma noite linda e intensa e de potência, quando isso acontece, você também encontra um lugar de realização.

Não dá pra disfarçar num olhar blasé. Lamento. Sou álcool forte e não água Perrier.

Ouço um poema do Drummond. Memória é tesouro e abrigo. Num canto do palco, sob foco de luz, despretensioso: o anúncio, sem dar por isso, de uma história de fazer acontecer. Um bonde de puro desejo passava cheio de pernas. Com uma lua, um conhaque… que botaram a gente comovido como o diabo…

3 de agosto de 2018

#danielemoraes #textoafetivo #textoafetuoso #palavras #crônica

Posts Relacionados

Ver tudo

Todo fim de ano eu escrevo uma carta de agradecimento pelo que vivi e uma carta com pedidos para o ano que vai chegar. É um jeito que me inspira a reconhecer o caminho percorrido, honrar as escolhas e

Lá se vão 40 anos daquele 18 de maio de 1981. Dia de Sol em Touro. Dia em que eu, solitariamente, nasci. Deixei o lugar estreito, porém conhecido e embalado pelo coração e pelo calor da minha mãe, par

Filha única com quatro irmãos, venho de uma família de certa, podemos dizer, vanguarda. O que hoje é tão banal, os meus, os seus e os nossos, era algo que eu tinha sempre que explicar. O meu pai, o pa