Criatividade é um ato de resistência

Todos nós nos perdemos eventualmente. Nos afastamos daquilo que faz nosso coração bater mais forte e, por vezes, esquecemos de quem somos e do que nos move.


Diante dos inimagináveis desafios que temos enfrentado nesta pandemia, reencontrar a nossa essência criativa e alimentar a nossa alma é, sim, uma forma de resistência, um jeito amoroso de recuperar e manter a esperança ativa – aquela esperança conceituada por Paulo Freire que, dizia, não vem de esperar, mas de esperançar.


Não à toa, o livro “O Caminho do Artista”, de Julia Cameron, é um sucesso em todo o mundo. Ele nos convida a despertarmos o nosso potencial criativo e rompermos bloqueios.


Em maio, começa a Turma 2 do “Caminhantes”, minha guiança para a leitura em grupo deste livro potente. Te convido a embarcar comigo, e outras desbravadoras, nessa jornada. Acesse aqui os detalhes da proposta (datas, horários e inscrições).


São vagas limitadas, então, não deixe para última hora.

Te espero! Vai ser bonito!


=)

Posts Relacionados

Ver tudo

PALAVRA (s.f.) #6 - Compaixão

Já se perguntou se tem algo mais importante na vida do que as relações? A ideia de interdependência como uma condição humana - e, claramente, não é apenas uma ideia - nos dá a dimensão do quanto preci

PALAVRA (s.f.) #5 - o despertar é individual

Saída dos pampas, a jornada da heroína e a exploração do mundo foram aos poucos se tornando uma experiência real na vida e no trabalho de Eliana Rigol. Autora do livro “Afeto Revolution” e a auto-inti

PALAVRA (s.f.) #4 - Celebração do comum

Como contamos e celebramos a nossa história, as nossas relações? Como transformamos o ordinário da vida, o comum, em algo que podemos e devemos celebrar? Como encontramos caminhos, entre a psicologia