sangue, sangue

O Animal Cordial

Teu lado mais podre. Tuas vísceras. Comes a carne, mas não podes imaginar a morte que ela carrega.

Toda carne está morta. E sangra e agoniza, estrebucha? Sucumbe.

Teu ódio reprimido. Teu desejo oculto.

Sangue, suor e tesão.

Amanhã almoço no vegetariano.

23 de agostos de 2018

#danielemoraes #textoafetivo #textoafetuoso #palavras #crônica

Posts Relacionados

Ver tudo

PALAVRA (s.f.) #6 - Compaixão

Já se perguntou se tem algo mais importante na vida do que as relações? A ideia de interdependência como uma condição humana - e, claramente, não é apenas uma ideia - nos dá a dimensão do quanto preci

PALAVRA (s.f.) #5 - o despertar é individual

Saída dos pampas, a jornada da heroína e a exploração do mundo foram aos poucos se tornando uma experiência real na vida e no trabalho de Eliana Rigol. Autora do livro “Afeto Revolution” e a auto-inti

PALAVRA (s.f.) #4 - Celebração do comum

Como contamos e celebramos a nossa história, as nossas relações? Como transformamos o ordinário da vida, o comum, em algo que podemos e devemos celebrar? Como encontramos caminhos, entre a psicologia