tempestade de ideias

Tempestade de ideias. Foi a headline de algumas anotações que eu fiz hoje. A porra da minha cabeça criativa está feito uma locomotiva desgovernada na potência máxima. Tanto tempo contida na gavetinha da prudência que foi só ameaçar aproximar a mão do puxador e ela se abriu todinha. Agora transborda, me atordoa e não me deixa dormir. Não me deixa dar um passo de cada vez. É que essa minha mente louca mete arco íris nos meus desejos de pote de ouro, e fala de amar e ser livre. Mas também me lembra da prisão em que às vezes sinto que estou, e que de fato estou. Aqui neste vale, faz cindir a vida de antes e de amanhã, que no agora é pura ausência e uma chuva forte, tempestuosa, ácida. Esmurra o telhado a trovoar: agora ou nunca.

Posts Relacionados

Ver tudo

Todo fim de ano eu escrevo uma carta de agradecimento pelo que vivi e uma carta com pedidos para o ano que vai chegar. É um jeito que me inspira a reconhecer o caminho percorrido, honrar as escolhas e

Lá se vão 40 anos daquele 18 de maio de 1981. Dia de Sol em Touro. Dia em que eu, solitariamente, nasci. Deixei o lugar estreito, porém conhecido e embalado pelo coração e pelo calor da minha mãe, par

Filha única com quatro irmãos, venho de uma família de certa, podemos dizer, vanguarda. O que hoje é tão banal, os meus, os seus e os nossos, era algo que eu tinha sempre que explicar. O meu pai, o pa