foi pra parede

A sina de uma boneca de infância, que ficou pra sempre guardada, esperando um lugar especial para enfeitar o quarto de uma menina.

Um alerta e uma angústia.

Não servia qualquer parede, não seria justo. Assim como também já não era justo estar há um ano a espera de um lugar merecido.

Que alívio. Hoje está exposto e tem até sua iluminação particular. Retrata uma proposta irresistível. Conta uma amizade bonita. E exibe toda a urgência da vida, que só existe agora.

#amigoécasa

8 de agosto de 2018

#crônica #danielemoraes #palavras #textoafetivo

Posts Relacionados

Ver tudo

PALAVRA (s.f.) #6 - Compaixão

Já se perguntou se tem algo mais importante na vida do que as relações? A ideia de interdependência como uma condição humana - e, claramente, não é apenas uma ideia - nos dá a dimensão do quanto preci

PALAVRA (s.f.) #5 - o despertar é individual

Saída dos pampas, a jornada da heroína e a exploração do mundo foram aos poucos se tornando uma experiência real na vida e no trabalho de Eliana Rigol. Autora do livro “Afeto Revolution” e a auto-inti

PALAVRA (s.f.) #4 - Celebração do comum

Como contamos e celebramos a nossa história, as nossas relações? Como transformamos o ordinário da vida, o comum, em algo que podemos e devemos celebrar? Como encontramos caminhos, entre a psicologia